Com Maria Salazar – Médica e Coronel da Força Aérea

 Em Sem categoria

1. Qual é o seu estado de espírito neste momento?
Preocupada, mas não apreensiva. Esperançosa

2. Qual o seu maior receio neste momento?
O surgimento de uma contrariedade na luta global contra a pandemia

3. Qual a maior extravagância que por estes dias lhe apetece fazer?
Viajar em família

4. Qual a frase/expressão que mais tem utilizado ultimamente?

 “Põe a máscara” e outras frases/expressões focadas na prevenção da propagação do vírus

5. Fez alguma descoberta acerca de si próprio durante o confinamento?
A infinita capacidade de trabalho, quando a situação o exige

6. Fez alguma descoberta acerca dos que lhe são próximos (na família ou no trabalho) durante o confinamento?
A infinita paciência dos que nos são próximos e nos compreendem.

7. Qual a sua ocupação favorita durante o confinamento?
Durante o confinamento trabalhei presencialmente, 7 dias por semana, no Estado Maior General das Forças Armadas. Não pude pensar em mais nada nem ter qualquer outra ocupação. Confesso que houve momentos em que tive alguns ciúmes dos que puderam estar em casa, confinados com a família.

8. Se tivesse mais uma vida o que faria com ela?
Tenho a sorte de fazer exatamente o que gosto e quero fazer. Acho que numa segunda vida faria o mesmo, mas com mais experiência e sabedoria.

9. O que gostaria que fosse diferente depois do Covid 19?
Uma maior afirmação, na consciência coletiva, dos valores de liberdade e democracia.

10. O que gostaria que se mantivesse?
O Profissionalismo e dedicação dos profissionais de saúde, tal como o seu reconhecimento público.

11. Qual a sua fonte principal de notícias actualmente?
Notícias online

12. Que livro recomendaria nesta altura?
A trilogia CENTURY de Ken Follett

13. Qual foi o último espectáculo a que assistiu presencialmente (cinema, teatro, concerto…)?
Impressive Monet & Brilliant Klimt na Mãe de Água

14. Qual o valor que considera que as Forças Armadas trouxeram para o combate à pandemia?
As Forças Armadas existem para proteger Portugal e os portugueses. A pandemia de COVID-19 tem representado um desafio que pressupõe níveis de planeamento de elevada complexidade e disponibilização de recursos, sendo as Forças Armadas um importante aleado neste tipo de funções, necessárias para prestar o adequado apoio à população. Houve desde o início, e continua a haver, total disponibilidade para colaborar com o SNS no combate à pandemia, com profissionais treinados e infraestruturas. A Saúde Militar, com características que lhe permitem ser uma importante mais valia na resposta a emergências de saúde pública, tem colaborado intensamente em várias frentes, o que tem tornado possível acrescentar valor em áreas como a capacidade de internamento hospitalar, os centros de acolhimento para utentes COVID+ não graves, a realização de testes, a produção de álcool-gel, a colaboração na planificação de otimização de recursos de saúde, a formação sobre COVID via e-learning a pessoal de saúde nos PALOP e em Timor Leste, a capacidade de rastreamento telefónico, a preparação dos funcionários dos lares de todo o país para as novas regras impostas em termos de prevenção de propagação do vírus, entre outras.

15. Qual a sua banda sonora para estes dias?

Adagio do Concerto para Piano nº5 de Ludwig van Beethoven